segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Retomar

Não é fácil retomar um projecto perdido, abandonado, esquecido ou apenas preterido porque a atenção, esforços e recursos foram desviados para assuntos mais prementes.
O primeiro passo para retomar é criar motivação.

Não duvido que grandes feitos e conquistas apenas são obtidos através de esforço e dedicação.

Mas há sempre algo que transformou, e temos de nos adaptar rapidamente se queremos uma rápida retoma e consolidar a recente reconquista.
Terá de valer a pena o esforço que deve ser compensado com novas e antigas recompensas. As opções e possibilidades devem diversificar
Os limites devem ser empurrados para mais longe

Apenas o tempo dirá se a retoma foi eficaz E apenas o tempo dirá por quanto tempo será assim

domingo, 1 de janeiro de 2017

Auto-preservação

É algo que sei que me une a todo o mundo animal, e até quem poderá saber, até ao mundo vegetal. A auto-preservação.
Esta busca para evitar a dor; de manter intacta a minha integridade física e até mesmo mental. De manter-me vivo e ileso...
Crente e seguidor de uma velha máxima de não fazer aos outros o que não gostaria que me fizesse... Por isso, procuro abster-me de causar dor e dano a outros. Mas reconheço ser uma façanha impossível e irrealizável.

Em contrapartida, a meu ver, os outros raramente procuram abster-se de actos que levam a produzir dor a outros ou a eles mesmos.
Ser altivo e arrogante, demonstraram-me, ao longo da minha caminhada neste mundo cruel, as minhas mais eficientes armas de preservação. O medo, como mecanismo para procurar segurança, não é o mais adequado...

Estou cansado deste mundo politicamente correcto ainda que moralmente podre. Um mundo em que nós temos medo que os outros iram ser ofendidos por nossas palavras, mas que os outros não vão ser afectados por nossas acções. Um mundo onde todos dizem que querem uma solução, mas ninguém está disposto a admitir que são o problema.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

40

"40 e então?"
A idade não me assusta ou, se calhar, assusta e muito.
Finalmente chego aos "...entas" e atinjo a década da ternura...
Se a antiguidade é um cargo e a idade um posto! Sou quarentão...

Com a idade crio muito mais histórias que compõem a história da minha vida.
Histórias comoventes, divertidas, histórias de afectos, histórias novas, histórias antigas que os anos fazem viver de forma diferente.

Deixo os céus da ingenuidade da juventude e aceito a minha condição humana. A sua frugal e vulnerável existência. E isso apavora-me, e não o número que o acompanha...

terça-feira, 18 de março de 2014

Aptidão

“A genialidade não é outra coisa senão uma grande aptidão para a paciência.” (George Buffon)
A aptidão é capacidade de realizar algo…
Mas adquire-se? Treina-se? Nasce-se?

A aptidão está associada à inteligência e às habilidades inatas ou àquelas que são adquiridas no âmbito de um processo de aprendizagem.
As aptidões aparecem vinculadas com uma ampla variedade de capacidades e competências, por sua vez relacionadas com diversas habilidades lógico-matemáticas. Assim, a aptidão pode pertencer ao raciocínio lógico, ao raciocínio abstracto, à compreensão verbal e expressão escrita, à destreza manual, à inventividade, à capacidade analítica, à habilidade corporal ou ao raciocínio indutivo, por exemplo.

Na verdade, sinto que é a capacidade de realizar provas através de testes e exames, para que, após aprovação, é emitido um certificado. E com muita sorte poderei realizar o tal “algo” para o qual encontro-me apto…

Porque posso ser hábil e ter vocação para realizar o tal “algo”, mas é-me vedado sem o certificado. E após o certificado, é-me vedada a oportunidade…
Que estranha habilidade para o qual existe apenas uma aptidão para a propensão para realizar mas há uma predisposição para apenas termos um certificado que atesta um facto…

terça-feira, 27 de março de 2012

Dez Mil

E foram 25 voltas numa pista olímpica de 400 metros… E nem dei por isso…
Penso seriamente na possibilidade de praticar um pouco de corrida. Nem que seja, um pouco, ao longo da beira do mar…
Mas dez mil metros… Talvez…
Não sei o que sou capaz até tentar.

“Dez mil” é o mesmo que dizer: muito, imenso…
Um número arredondado que expressa mais do que podemos contar. A quantidade que não cai no ridículo do improvável e no impossível do infinito…

Mas estava distraído quando aconteceu e não posso voltar atrás até ao momento em que sucedeu. Quando o dez milésimo visitante passou o olhar por este blog.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Corpse Bride - Tears To Shed


"If I touch a burning candle I can feel no pain
In the ice or in the sun, it's all the same
Yet I feel my heart is aching
Though it doesn't beat, it's breaking
And the pain here that I feel
Try and tell me: it's not real
I know that I am dead
Yet it seems that I still have some tears to shed"

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Existência

O que faço eu aqui?
A questão atormenta-me porque até tenho algumas respostas práticas que o justificam. E acuso às forças da circunstância pelo estado da minha situação.
Mas sinto-me insatisfeito pelas respostas apresentadas.

Eu não creio que tenho por desígnio algo de grandioso. Ser alvo de admiração pelos outros. A minha caminhada desenrola-se sem avistar horizontes longínquos.
Também não pretendo enriquecer e cercar-me de bens que não poderei levar comigo…
Sonhos e ideais são escassos, caracterizando-se por serem perfeitamente comuns.
Mas porquê aqui? Neste exacto lugar e momento…

Como justificar a nossa existência…
Cada dia que passa…